Web Development © Via Oceânica 2011 - Todos os direitos reservados.



Açores e mergulho

Açores

Composto por nove ilhas, divididas em três grupos – Ocidental: Flores e Corvo; Central: Faial, Pico, S. Jorge, Graciosa e Terceira; e Oriental: S. Miguel e Santa Maria – este Arquipélago representa uma obra-prima da Natureza, que soube ser reconhecida e mantida pelos seus habitantes. Herdeiros de um património cultural e natural com grande diversidade, os Açores constituem um diamante na área do mergulho, proporcionando condições e segmentos turísticos que potenciam o seu desevolvimento, como são exemplos o Turismo de Natureza, de Saúde e Bem-estar, o Touring, o Golfe, e o Turismo Náutico.

Graciosa

Apesar de ser a ilha mais pequena e isolada do Grupo Central, a Graciosa apresenta óptimas condições para a prática de mergulho. A paisagem predominantemente rural mostra-nos um povoamento disperso, com aldeias de casario branco rodeadas de campos de pastagem e, a norte, pelos currais de vinha. A sudeste destaca-se a impressionante Furna do Enxofre no centro de uma caldeira de grande dimensão.

Foto Santa Cruz - Francisco SilvaComo principais segmentos destacam-se nesta ilha o turismo náutico, geoturismo e do turismo termal. As Termas do Carrapacho e um hotel recente integrado na paisagem são, entre outras, infra-estruturas turísticas de qualidade que garantem serviços adequados aos visitantes.


Foto Praia - Francisco Silva No âmbito da temática do mergulho é particularmente conhecida pela excelente visibilidade das suas águas, que chega frequentemente aos 30 metros, oferecendo condições excelentes para a prática de fotografia subaquática. A beleza dos fundos submarinos, ao longo de toda a sua costa, aliada à riqueza da sua fauna, são condições para que esta ilha se possa afirmar como um importante destino de mergulho. A diversidade de mergulhos é surpreendente sendo possível, por exemplo, realizar tanto mergulhos com meros de grandes dimensões, como mergulhos junto a embarcações naufragadas, o Terceirense e o Corvo.

Embora a oferta de serviços na área do mergulho ainda seja escassa, as empresas existentes garantem serviços de qualidade não só na área do mergulho como noutras atividades como passeios de barco, viagens entre ilhas, observação de cetáceos, pesca desportiva, canoagem, observação de aves e passeios pedestres.

Mergulho nos Açores

O Arquipélago dos Açores oferece uma enorme variedade de locais de mergulho e de geologia de fundo. Situado no meio do Oceano Atlântico Norte, permite a realização de imersões únicas onde se destacam a existência de grandes pelágicos e uma visibilidade que varia entre os 10 e 30 metros.

Pela sua origem vulcânica as ilhas têm uma fisiografia de costa e de fundo muito variada, salientando-se a diversidade da flora, fauna e os inúmeros túneis, cavernas e grutas que proporcionam aos participantes diferentes tipos de mergulho.Foto Mergulho - Luís Veríssimo

A meteorologia é razoavelmente variável, sendo a época considerada alta de mergulho compreendida entre os meses de Junho e Setembro, quando ocorrem valores mais elevados das temperaturas atmosféricas e da água à superfície do mar, maior insolação, menor precipitação, amenização dos ventos e ocorrência de maior número de espécies pelágicas.

Os Açores estiveram desde sempre ligados ao mar, notando-se um aumento do aproveitamento dos recursos marítimos e da sua orla costeira. Existem áreas de proteção onde o objetivo principal é a conservação da diversidade biológica, ecológica e dos ecossistemas.
Se, por um lado, esta região apresenta grandes condições para o desenvolvimento do mergulho, por outro torna-se importante refletir sobre a necessidade de o desenvolver de forma sustentável e responsável.

Retroceder